COMO OBTER O MELHOR RENDIMENTO DOS FERRAMENTAIS DTH

1.1 – INTRODUÇÃO
Os martelos DTH (Down the hole = de fundo) foram introduzidos a partir de 1950 em perfurações de pedreiras. E a medida que se foi utilizando em outros setores de perfuração, se comprovou que a perfuração com martelos DTH tem vantagens em comparação a outros sistemas de perfuração, sendo mais versátil, eficiente, rápido e seguro de usar. A frequência de impacto de um martelo DTH é extremamente alta, combinado com a alta energia de impacto que o martelo produz, permite entregar uma eficiente potência de impacto sobre a rocha, o que faz o sistema de perfuração DTH muito mais rápido.
1.2 – SELEÇÃO DO MARTELO DTH
Para a correta seleção do Martelo DTH, é fundamental calcular o espaço anular (velocidade de limpeza). A velocidade anular é determinada pela quantidade de ar que passa pelo martelo DTH, ø do Bit e ø da Haste. A velocidade do ar entre a haste, Martelo DTH, Bit DTH e a parede do poço deve ser tal que elimine adequadamente o material perfurado, obtendo uma ótima velocidade de perfuração com o mínimo desgaste dos ferramentais DTH.
1.3 – INFORMAÇÕES TÉCNICAS PARA MELHOR SELEÇÃO DO MARTELO DTH
Para se obter o maior rendimento e melhor relação custo x benefício deve-se levar em consideração
alguns fatores, que são:
• Valor do Investimento;
• Consumo de Ar;
• Consumo de óleo;
• Durabilidade (Desgaste externo e Interno);
• Taxa de Penetração;
• Custo de Manutenção;
• Eficiência Operacional.
É muito importante solicitar a ficha técnica operacional ao fornecedor de Martelo DTH, pois o sistema de Perfuração DTH trabalha em conjunto, onde são: Compressor, Equipamento de Perfuração (Perfuratriz), Haste, Martelo DTH e Bit DTH. Por este motivo é necessário uma análise critica de todos os parâmetros operacionais para se obter o melhor rendimento operacional.
Artigo 01-01052018
1.4 – MODELOS DE MARTELOS DTH
Existem diversos tipos e modelos de Martelos DTH, sendo os mais utilizados no Brasil os
convencionais e Turbinado, aonde a escolha principal é realizada de acordo com a finalidade e
situação operacional da perfuração, assim como o terreno a perfurar (Abrasivo, Fraturado, Arenoso e outros), Equipamento de Perfuração (Perfuratriz), Compressor, Haste, Bit e etc. Após a análise operacional se define alguns itens que são de suma importância para melhor eficiência operacional, como:
• Modelo de Punho;
• Reforço no cilindro, Sub Inferior e Sub Superior;
• Amortecedor Interno;
• Proteção contra impurezas do sistema de alimentação do Martelo DTH;
• Furo adicional de limpeza;
• Cilindro Reversível;
• E outros.
1.5 – PARÂMETROS OPERACIONAIS
Para se obter o melhor rendimento operacional é necessário se atentar para alguns parâmetros
técnicos operacionais, como:
• Limpeza do Furo;
• Taxa de Perfurabilidade;
• Injeção de Água e ou Polímero;
• Pressão de Fundo;
• E outros.
Obs: Todo conteúdo descrito neste artigo, trata-se somente de um breve resumo da Assessoria
Treinamento em Perfuração DTH. “ A melhor relação custo x benefício começa com a capacitação”
Eduardo B. Sadamatsu
Diretor Técnico
CREA-SP 5070211811
Tel – (14)996038517
E-mail – eduardo@atriges.com.br
www.atriges.com.br
Bibliogafia
Atriges – Acervo Técnico Operacional sobre Perfuração DTH, Treinamento Integrado a Gestão.
Drillco Tools “Manual de Operación y Mantenimiento” Rev. Septiembre -2003